Página Inicial arrow Proteção e Segurança arrow Norma do CNT permite vidro mais escuro
Sexta-feira - 22 de Novembro de 2019

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase5.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Conecte-se ao Facebook!
Siga-nos no Twitter!

Nossos Parceiros

Método Lordello de Treinamento em Segurança
Life Condomínios
Protecães
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Grupo Padrão
QAP Segurança
Pro Security
Good Clean
Condomínio em Foco
Seguridade
Full
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Crimes & Acidentes
Terras de Gênova
Comunicação Juridica
ASC Service
FL Terceirização
Leão Serviços
Lordello Consultoria
ATS Terceirização
Grupo Titanium
JSEG Vigilância
Grupo GP
NR Service
Wall Service
Grupo Vip
Méthodo Gestão Educacional
Top Clean
Porto Service
Avitran

Quem está On-line

Nós temos 2 visitantes online
Norma do CNT permite vidro mais escuro Email

O Conselho Nacional de Trânsito autorizou a instalação de película de controle solar mais escura nos vidros traseiros dos veículos. O limite de luminosidade que era de 50%, caiu para 28%. No pára-brisa o mínimo é de 75%. Os vidros laterais dianteiros (passageiro e motorista) poderão ter 70%. Por outro lado, a película de cor prata, conhecida como reflexiva, foi proibida pela nova regulamentação. Vale lembrar aos leitores, que o uso da película em desacordo com a legislação resulta em multa de R$ 127,69 e perda de 5 pontos na Carteira de Habilitação, além da possibilidade de o veículo ser apreendido. Foi aprovado também o uso, pelos agentes de trânsito e policiais militares, do equipamento chamado "medidor de transmitância luminosa", que permitirá a constatação, "in locun", se a película aplicada no veículo está de acordo com a nova resolução do Contran. Participei de um debate na Rádio Trianon sobre essa normatização; um ouvinte fez a seguinte pergunta pelo telefone: "O escurecimento dos vidros do carro pode atrapalhar a polícia a identificar, por acaso, um seqüestro relâmpago em andamento?". Essa indagação é pertinente e motivo de inúmeras discussões e controvérsias. Acompanhe o relato de uma vítima: "Parei meu carro no meio fio para atender o telefone celular. Fui abordado por dois jovens armados que me colocaram no banco do passageiro. O bandido que ficou sentado no banco traseiro, o tempo todo manteve um revolver de cano longo nas minhas costas, repetindo que eu deveria olhar apenas para frente, senão iria disparar a arma e me deixar tetraplégico. Em dado momento, surgiu uma viatura da polícia e os criminosos ficaram super nervosos. O motorista apertou meu braço esquerdo com força e me mandou fingir que eu conversava com ele, despistando assim os policiais. Acatei as ordens dos marginais; rezando para não receber um tiro nas costas. O carro da polícia passou por nós e os bandidos se acalmaram. Sacaram dinheiro do caixa automático com meu cartão e depois me libertaram". Esclareço que o veículo da vítima não continha a película. Após muito pesquisar, concluí que a película que escurece os vidros do carro inibe a aproximação de estranhos e, por conseguinte, diminui o risco de abordagem criminosa, além de amenizar os efeitos dos raios UV e de estilhaços, no caso de quebra de vidro.

 

Dr. Jorge Lordello

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement