Página Inicial arrow Proteção e Segurança arrow O leitor já discutiu ou brigou no trânsito?
Sexta-feira - 15 de Novembro de 2019

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase2.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

Grupo Vip
Wall Service
Porto Service
Grupo Padrão
FL Terceirização
Good Clean
Crimes & Acidentes
Top Clean
Lordello Consultoria
Terras de Gênova
Seguridade
Life Condomínios
Grupo GP
Full
ASC Service
Leão Serviços
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Pro Security
ATS Terceirização
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
NR Service
Avitran
Méthodo Gestão Educacional
Comunicação Juridica
Método Lordello de Treinamento em Segurança
JSEG Vigilância
Condomínio em Foco
QAP Segurança
Grupo Titanium
Protecães

Quem está On-line

O leitor já discutiu ou brigou no trânsito? Email

Os números são alarmantes. Através do fone 190, cerca de 400 brigas de trânsito são notificadas diariamente no estado de São Paulo. Outras centenas de agressões, danos materiais, xingamentos e até tentativas de homicídios não chegam aos ouvidos das polícias constituídas. É o que chamamos de subnotificações. O psiquiatra da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Júlio César Fontana Rosa, alerta que casos de violência no trânsito podem acontecer, até mesmo, com pessoas que não têm antecedente de agressividade. Em situações que poderiam gerar esse tipo de procedimento negativo, tendo a pessoa um tempo para refletir, deixa de realizar o ato. No entanto, nem todos conseguem ter essa reflexão. Nós temos que ficar atentos. O trânsito está gerando um nível de impaciência que pode nos levar a explodir. Gestos obscenos, palavrões de toda espécie, ameaças de morte, agressões com tacos de beisebol, perseguições desenfreadas e até disparos com armas de fogo, refletem o total descontrole emocional de motoristas estressados, abusados e alcoolizados. Os motivos das desavenças entre condutores de carros e motos são mínimos e passo e enumerar: 1) Desalinhamento do auto na faixa de rolamento 2) Demora ao sair com o carro após o semáforo abrir 3) Avanço à faixa de pedestres  4) Utilização de farol alto 5) Uso exagerado da buzina  5) Paquera no trânsito 6) Disputa por vaga em estacionamento de shopping. Mas como evitar confusões dessa espécie? O antigo jargão popular "quando um não quer dois não brigam" pode fazer toda a diferença quando algum motorista lhe ofender com palavras e gestos. A primeira lição, e a mais importante, é não retrucar as ofensas. É melhor "engolir um desaforo" do que acabar se envolvendo em discussão de proporções inimagináveis. Em hipótese alguma revide as ofensas e procure não gesticular. Mantenha os vidros do carro totalmente fechados. A instalação da película que os escurece é uma precaução interessante, pois ao bloquear a visibilidade do interior do veículo, desestimula o possível agressor, que terá dificuldades em discutir com alguém que não consegue ver com nitidez. Por último, conte até 10 vagarosamente, até a raiva passar. Sinta-se vencedor por não ter sido contaminado pela ignorância alheia.

 

Dr. Jorge Lordello

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement