Página Inicial arrow Protegendo os Filhos arrow Pais: exemplos negativos dentro de casa
Domingo - 22 de Setembro de 2019

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Conecte-se ao Facebook!
Visite nosso canal no Youtube!

Nossos Parceiros

Top Clean
Grupo GP
Pro Security
Associação Nacional de Agentes de Segurança
NR Service
Lordello Consultoria
Comunicação Juridica
Grupo Vip
JSEG Vigilância
Seguridade
Porto Service
ASC Service
QAP Segurança
Full
Grupo Titanium
FL Terceirização
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Protecães
Crimes & Acidentes
Avitran
ATS Terceirização
Terras de Gênova
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Wall Service
Condomínio em Foco
Life Condomínios
Leão Serviços
Good Clean
Grupo Padrão
Méthodo Gestão Educacional

Quem está On-line

Nós temos 1 visitante online
Pais: exemplos negativos dentro de casa Email

Recentes pesquisas apontam que o uso de bebidas alcoólicas por crianças atingiu níveis estarrecedores. Cada vez mais cedo jovens antecipam fases, e em boa parte impulsionados pelos próprios pais. O último levantamento feito pelo Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas), revelou que 50% dos estudantes brasileiros, entre 10 e 12 anos, já consumiram álcool, sendo que desse total, 28% recebeu incentivo dos próprios genitores. Dos jovem entrevistados, internados em clínicas para recuperação de dependentes, 7% admitiu ter consumido bebida alcoólica antes dos 7 anos de idade, e, pasmem, na própria residência. Dos 8 aos 14 anos esse índice supera 40%. Outro dado lamentável, é que 15% da população brasileira tem algum tipo de problema sério com álcool. Infelizmente, algumas famílias não conseguem mais dizer não aos filhos, vivendo, assim, sob a égide da ditadura da criança e do adolescente - filhos mandam e pais obedecem. Na grande maioria das festas de adolescentes, a bebida alcoólica é liberada, mesmo sendo considerado crime pelo Estatuto da Criança. Filhos exigem e pais se curvam. Iniciei o livro "Educando com Amor e Responsabilidade", que escrevi em co-autoria com o médico Dr.Lair Ribeiro, com a seguinte frase, lapidada pelo Rei Salomão: "Instrua a criança no caminho que deve andar e, mesmo depois de crescer, ela não se desviará dele". Portanto, tenho duas dicas importantíssimas ao amigo leitor: 1) Cuidado com a exposição de bebidas alcoólicas dentro de casa. Entendo ser extremamente perigoso manter barzinho no lar, onde geralmente bebidas e copos ficam ao alcance de crianças. A melhor opção é ter poucas garrafas e acondicioná-las em local alto, em móvel trancado com chave. Muita cautela com cervejas na geladeira, pois na sua ausência seu filho poderá se acostumar ao uso frequente. 2) Evite beber na frente de crianças. Geralmente os comentários: "Essa bebida é uma delícia" ou "Como é bom beber, fico mais calmo e tranquilo", são percebidos pelos filhos, que passam a fazer associação positiva entre o prazer e o álcool. Não adianta falar para seu filho que bebida faz mal à saúde, se você ingere álcool na frente dele. Lembre-se que a palavra pode convencer, mas o exemplo arrasta, é muito mais poderoso. O uso exagerado de bebidas em festas e comemorações, dá às crianças a falsa ideia de que o uso de drogas traz alegria e felicidade. 3) Não ofereça bebidas alcoólicas à crianças e adolescentes. A tal da "espuminha da cerveja" ou vinho misturado com refrigerante ou água, podem ser o primeiro passo de uma estória triste de alcoolismo ou dependência de drogas como maconha, cocaína e crack em sua família.

 

Dr. Jorge Lordello

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement