Quinta-feira - 28 de Maio de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase3.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Visite nosso canal no Youtube!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

JSEG Vigilância
Condomínio em Foco
Protecães
QAP Segurança
FL Terceirização
Grupo Vip
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Grupo Titanium
Grupo GP
ASC Service
Grupo Padrão
Porto Service
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Good Clean
Comunicação Juridica
ATS Terceirização
Pro Security
Seguridade
NR Service
Méthodo Gestão Educacional
Top Clean
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Full
Wall Service
Life Condomínios
Avitran
Lordello Consultoria
Leão Serviços
Crimes & Acidentes
Terras de Gênova

Quem está On-line

Nós temos 1 visitante online
O perigo de se contratar segurança clandestina Email
No Brasil, cerca de 600 mil vigilantes trabalham em 4.500 empresas clandestinas. Outras 1.600 empresas devidamente formalizadas empregam 500 mil vigilantes.

Os números são da Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores - Fenavist.

O presidente da Fenavist, Jefferson Simões, lembra que "a segurança privada é um segmento legalizado". Apesar de legalizada, muitas empresas se mantém sem regulamentação e, de acordo com Simões, a punição prevista para quem infringir a lei 7.102/83 é ainda branda. Primeiramente, é feita uma notificação para que a empresa clandestina abandone a atividade ilegal. Em caso de não cumprimento da notificação, o dono é preso. "Teria que haver uma alteração que poderia dar maior respaldo à Polícia Federal, para que ela possa punir quem presta o serviço de segurança clandestino", defende o presidente Fenavist.

Para os contratantes de serviços de vigilância, Jefferson tem uma orientação. "Todos que forem contratar uma empresa de segurança devem exigir que apresente a sua autorização junto à Polícia Federal", aconselha. Ele lembra também que a lei não permite a existência de seguranças autônomos, todos devem estar subordinados a uma empresa.

De acordo com a lei 7.102, para ser um vigilante é necessário "ter mais de 21 anos, ter sido aprovado em curso de formação de vigilante, ter sido aprovado em exame de saúde física, mental e psicotécnico, não ter antecedentes criminais registrados e estar quite com as obrigações eleitorais e militares".

Fonte: Radiobrás

 

< Anterior   Próximo >