Página Inicial arrow Evitando Acidentes arrow Como a polícia comprova a embriagues no volante?
Sexta-feira - 14 de Agosto de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

Comunicação Juridica
Méthodo Gestão Educacional
Condomínio em Foco
ASC Service
Grupo Vip
Top Clean
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Full
Porto Service
Crimes & Acidentes
JSEG Vigilância
Seguridade
Wall Service
Terras de Gênova
Good Clean
Pro Security
Lordello Consultoria
Leão Serviços
Grupo Padrão
NR Service
Grupo GP
FL Terceirização
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Avitran
Protecães
ATS Terceirização
QAP Segurança
Grupo Titanium
Life Condomínios
Associação Nacional de Agentes de Segurança

Quem está On-line

Como a polícia comprova a embriagues no volante? Email
Trabalhei como Delegado de Polícia por quase 10 anos consecutivos. Atendi infindáveis ocorrências versando sobre acidentes fatais envolvendo motoristas embriagados. Por diversas vezes, com o coração partido, tive que telefonar para familiares, avisando da morte de entes queridos. A bebida alcoólica tem produzido milhares de mortes em nosso país.
Como a polícia comprova a embriagues no volante? O álcool é a droga preferida dos brasileiros (68,7% do total), seguido pelo tabaco, maconha, cola estimulantes, ansiolíticos, cocaína, xaropes e estimulantes, nesta ordem.

No País, 90% das internações em hospitais psiquiátricos, por dependência de drogas, acontecem devido ao álcool. Motoristas alcoolizados são responsáveis por 65% dos acidentes fatais em São Paulo. O alcoolismo é a terceira doença que mais mata no mundo. Além disso, causa 350 doenças (físicas e psiquiátricas) e torna dependentes um de cada dez usuários.

De acordo com o Código Nacional de Trânsito, a maneira de se provar que um condutor está embriagado, é o exame de sangue e o bafômetro. Ocorre que qualquer cidadão tem o direito de negar a se submeter a esses testes, invocando a Constituição Federal, que desobriga qualquer pessoa a fazer prova contra si mesmo.

Aí é que a porca torce o rabo. Muitas vezes, a polícia fica impedida de provar, durante o inquérito policial, que o motorista que causou grave acidente, estava embriagado.

Em fevereiro de 2006 passou a vigorar a Lei Federal 11.275, que visa complicar a vida dos motoristas que insistem em dirigir após ingestão de bebida alcoólica. A partir de agora, no caso de recusa do condutor em permitir coleta de sangue ou se negar a passar pelo teste do bafômetro, o crime poderá ser comprovado mediante constatação do agente de trânsito, acerca dos notórios sinais de embriagues, excitação ou torpor, resultantes do uso de álcool ou entorpecentes.

Feita essa constatação pelo policial, a pena poderá ser aumentada de um terço à metade. Portanto, a nova legislação dá ao depoimento de testemunhas o peso de prova, nos casos de embriaguês ou uso de drogas ao volante. Via de regra, o indivíduo é considerado alcoolizado após ingerir 2 doses de bebidas destiladas, ou até mesmo 2 latas de cerveja. Nesse caso, prefira voltar de táxi ou permita que um amigo sóbrio dirija seu veículo.

A bebida alcoólica dá uma falsa sensação de segurança, e é por esse motivo que milhares de pessoas morrem por ano no Brasil, vítimas dessa droga legalizada. Só quem perdeu um ente querido em razão do álcool, sabe da gravidade desse problema.
 
Dr. Jorge Lordello 
 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement