Página Inicial arrow Medo e Omissão arrow Ser vítima ou não de assalto é um fenômeno da sorte ou do azar?
Quinta-feira - 20 de Fevereiro de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Conecte-se ao Facebook!
Siga-nos no Twitter!

Nossos Parceiros

Full
NR Service
ATS Terceirização
JSEG Vigilância
Comunicação Juridica
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Seguridade
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Avitran
Good Clean
Método Lordello de Treinamento em Segurança
QAP Segurança
Life Condomínios
Protecães
Porto Service
Terras de Gênova
Grupo Titanium
Méthodo Gestão Educacional
Leão Serviços
Condomínio em Foco
Grupo Padrão
ASC Service
Grupo GP
Wall Service
FL Terceirização
Grupo Vip
Top Clean
Crimes & Acidentes
Pro Security
Lordello Consultoria

Quem está On-line

Nós temos 2 visitantes online
Ser vítima ou não de assalto é um fenômeno da sorte ou do azar? Email

Após entrevistar centenas de assaltantes, descobri que ele ao perpetuarem o crime tem dois medos:

1) Ser preso
2) Ser morto pela polícia ou pela própria vítima que pode estar armada.  

Bandidos também têm medo Outro ponto interessante é que o marginal tem todo o tempo do mundo para procurar uma vítima que esteja em circunstâncias favoráveis para a prática criminosa. Aprendi que o criminoso não deseja correr riscos desnecessários e que as vítimas não são escolhidas de maneira aleatória.

Portanto, na grande maioria dos casos que analisamos a vítima facilitou e muito o oficio do marginal. Na gíria policial dizemos que a pessoa “deu mole” ao ladrão. Preste atenção nessa colocação: ”A criatividade dos assaltantes não tem fim, mas diga-se de passagem, a ingenuidade das vítimas também não”. Pessoas ingênuas e que não exercitam prevenção, terão mais chances de serem abordadas, pois freqüentemente se colocam em posição de risco.

Se o marginal estiver passando naquele momento, com certeza identificará aquela atitude imprudente e perpetuará seu intento criminoso.  Acompanhe a matéria abaixo que relata ações negligentes e imprudentes de muitos moradores:

 


CUIDADO: O LADRÃO PODE ESTAR DENTRO DO PRÉDIO
 (O Estado de São Paulo, 23.05.2004)

Para especialista, a segurança de morar em apartamento caiu de 100% para 30%

Quem lida com segurança patrimonial conforma que a situação mudou. “Antigamente, era 100% seguro morar em prédio. Agora são só 30%”, diz o Presidente do Sindicato das Empresas de Segurança, o advogado Jose Jacobson Neto. Sindica do edifício de 24 andares onde vive, Thelma Bolzan acha que o maior problema é muita gente não ter consciência da gravidade da situação. ”Pegam o controle e abrem a porta sem prestar atenção, levam outras pessoas e ainda se aborrecem quando o porteiro interfere. Com isso colocam os outros moradores em risco”. Para a advogada Vânia Pires Ferreira, de 50 anos, que mora na Vila Nova Conceição, a indiscrição de funcionários pode ser um perigo. ”Sempre é alguém de dentro que dá as coordenadas. Acabam dando as dicas”. O advogado Mauricio Mendes acredita que para ser seguro, o prédio precisa de câmeras e detectores de metais, alem de funcionários bem treinados. No condomínio onde mora, na Rua Martiniano de Carvalho, no Paraíso, há um sistema de vigilância eletrônico precário. ”Outro dia, houve um assalto no prédio ao lado. O criminoso passou na frente da câmera, que o filmou tão mal que não pode ser identificado.


Dr. Jorge Lordello

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement