Página Inicial arrow Cartão de Crédito arrow Golpes: cuidado com os estelionatários
Sábado - 26 de Setembro de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Visite nosso canal no Youtube!
Siga-nos no Twitter!

Nossos Parceiros

Grupo Padrão
Condomínio em Foco
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Méthodo Gestão Educacional
Lordello Consultoria
QAP Segurança
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Porto Service
Leão Serviços
JSEG Vigilância
Seguridade
Wall Service
Pro Security
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Life Condomínios
Comunicação Juridica
Full
Terras de Gênova
FL Terceirização
Top Clean
Good Clean
Crimes & Acidentes
NR Service
Grupo GP
ASC Service
Avitran
Grupo Titanium
Grupo Vip
ATS Terceirização
Protecães

Quem está On-line

Golpes: cuidado com os estelionatários Email
Recebi muitos e mails de pessoas que alegam que deixaram de ser vítima de criminosos, pois colocaram em prática as regras, dicas e orientações que explico neste site. O leitor que possui "cartão de crédito" deve prestar muita atenção nos novos golpes que estão sendo aplicados na praça, para não se transformar de cliente em vítima dos marginais.

Veja:

1) O empresário A.D.N. foi a uma danceteria em São Paulo á noite. Por volta das 2h30 resolveu ir embora e solicitou a conta. O gentil garçom rapidamente trouxe a conta apontando despesa de R$110,00. O empresário conferiu a despesa e apos verificar que o valor estava correto tirou da carteira seu cartão de crédito para efetuar o pagamento. Em poucos minutos o garçom retornou com seu cartão e A.D.N. assinou o comprovante de pagamento (boleto). No final do mês, após o débito automático de sua fatura do cartão de crédito o empresário resolveu conferir as despesas mensais, momento em que notou um gasto no valor de R$1100,00 que não se recordava. Ao ligar para o serviço de atendimento ao cliente de seu cartão de crédito, veio, a saber, que tal gasto havia sido efetuado em uma danceteria no começo do mês. A.D.N. correu para seu escritório conferir o boleto que havia assinado na casa noturna e percebeu que foi colocado o valor de R$1100,00 e não R$110,00 referente à despesa. O empresário refletiu sobre o ocorrido e lembrou-se que ao assinar o boleto na danceteria não conferiu o valor, pois havia ingerido bebida alcoólica e também pelo fato de o ambiente ter pouca luminosidade. A vítima teve que amargar esse prejuízo.

2) Outro golpe que o amigo leitor deve tomar cuidado, ocorreu com a recepcionista M.B.S. Em um final de semana ela resolveu levar suas duas filhas para almoçar em um restaurante tipo rodízio. Ao término da refeição ela solicitou a conta e após conferi-la deu como forma de pagamento seu cartão de crédito. O garçom demorou um pouco, devido ao grande movimento no restaurante. A recepcionista já estava ansiosa para ir embora, quando chegou o garçom com o boleto para ser assinado. Rapidamente M.B.S. confere o valor, oferta sua assinatura e guarda seu cartão de crédito na carteira.
No dia seguinte, pela manhã, a caminho do serviço, a recepcionista para seu veículo em um posto de gasolina para encher o tanque. Ela fornece ao frentista seu cartão de crédito para pagamento das despesas. Ocorre que, no momento em que o funcionário passa o cartão de crédito na máquina registradora, constata que tal cartão apresenta registro de furto. A indignada cliente alega que não teve seu cartão subtraído, mas ao analisá-lo com cuidado, nota que aquele cartão não era seu e sim de outra mulher. O caso foi levado a uma delegacia de polícia, onde a Autoridade Policial explicou que a recepcionista fora vítima do "golpe da troca de cartão", ou seja, ao realizar uma despesa anterior a do posto de gasolina, foi entregue a cliente um cartão de crédito furtado. Foi nesse instante que M.B.S. recordou que no dia anterior havia ido a um rodízio e quando recebeu seu cartão de crédito do garçom (que na verdade era um estelionatário) em razão da pressa, não verificou se tal cartão era o de sua propriedade.

Fique muito atento ao realizar compras com seus cartões de crédito e de banco para não passar de cliente a vítima em questão de segundos.


Dr. Jorge Lordello 

 

< Anterior
 AdvertisementAdvertisement