Página Inicial arrow Histórias Fantásticas arrow Quando o álcool entra e o chato se apresenta
Domingo - 28 de Fevereiro de 2021

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Visite nosso canal no Youtube!
Siga-nos no Twitter!

Nossos Parceiros

Leão Serviços
Méthodo Gestão Educacional
Terras de Gênova
Protecães
QAP Segurança
Crimes & Acidentes
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Seguridade
ATS Terceirização
Grupo Titanium
Full
Lordello Consultoria
ASC Service
Grupo Vip
Grupo Padrão
FL Terceirização
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Life Condomínios
Pro Security
NR Service
Condomínio em Foco
Good Clean
Grupo GP
Top Clean
Porto Service
Comunicação Juridica
Wall Service
JSEG Vigilância
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Avitran

Quem está On-line

Quando o álcool entra e o chato se apresenta Email

 

Qual sua opinião sobre o bêbado chato?

É incrível como tem gente que ao consumir bebida alcoólica se torna inconveniente, passando a incomodar quem está por perto. Conseguem ser irritantes e parece que têm prazer com isso. Gostam de falar bem pertinho, apesar do hálito horroroso.

Alguns liberam agressividade e fazem de tudo para arranjar discussão verbal e até briga.

E tem o “bêbado conselheiro”, que quer, de qualquer jeito, dar palpite na vida dos outros. Tem ainda o chorão, que após encher a cara, descobre que sua rotina é uma droga.

Outra característica típica da pessoa que não sabe beber socialmente, é querer fazer amizade com estranhos que estão quietos em seu canto. Tem ainda o chamado “Don Juan”, que passa a paquerar de forma grosseira e chata.

                                                                                                                Durante o porre perdem carteira, celular, óculos e por fim a dignidade.

Na minha opinião, um dos piores é o “filósofo de boteco”, que adora um papo cabeça sem o menor sentido.

E, por fim, aprontam barbaridades. No dia seguinte não se lembram de praticamente nada; por isso não se envergonham.

Na verdade, as pessoas respondem de forma diferente ao contato com o álcool. Enquanto alguns usam a bebida moderadamente e como forma de socialização, diversão saudável ou para relaxar depois de dia estressante, outros se transformam totalmente; liberam o que têm de pior e quem estiver por perto passa a ser alvo de incômodo.

O álcool provoca desinibição exagerada em algumas pessoas, mas o que pouca gente sabe, é que é considerada “droga depressora” do sistema nervoso central.

O leitor já ouviu falar das fases da embriaguês?

A primeira fase é a do macaco, onde o bêbado se torna irrequieto, saltitante e buliçoso. Se continuar a bebericar, entra na segunda fase, onde mais parece um leão, pois torna-se violento e agressivo. Por último, entra na fase do porco, onde começa a passar mal, vomita, alguns dormem em qualquer lugar e roncam alto.

Mas como lidar com o bêbado chato?

Poderia dar uma série de dicas para o leitor não se estressar, como por exemplo, evitar discutir. Mas é melhor racionalizar. Para não ter o dia estragado pelo inoportuno alcoolizado, a atitude mais sábia é afastar-se o quanto antes; vá embora, principalmente se ele te escolheu como a vítima da vez.

 

Image 

 

< Anterior   Próximo >