Página Inicial arrow Polícia arrow Orientações para quem porta arma de fogo legalizada e se envolve em tiroteio
Quinta-feira - 21 de Outubro de 2021

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase6.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Conecte-se ao Facebook!
Visite nosso canal no Youtube!

Nossos Parceiros

Terras de Gênova
Crimes & Acidentes
Condomínio em Foco
Porto Service
Comunicação Juridica
NR Service
Seguridade
Good Clean
Grupo Vip
Life Condomínios
Grupo Padrão
JSEG Vigilância
Associação Nacional de Agentes de Segurança
ASC Service
Méthodo Gestão Educacional
Grupo Titanium
Lordello Consultoria
Leão Serviços
Pro Security
Avitran
Grupo GP
Wall Service
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
FL Terceirização
Full
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Top Clean
Protecães
QAP Segurança
ATS Terceirização

Quem está On-line

Nós temos 1 visitante online
Orientações para quem porta arma de fogo legalizada e se envolve em tiroteio Email

O termo “fuzileiro” deriva da palavra “fuzil”, oriundo do século XVII. Na época, a maioria dos exércitos usava a categoria dos fuzileiros na linha de frente das guerras. Os combates se davam em formação cerrada, com sucessivas descargas de fuzilaria até à carga final à baioneta.  

                                  

Com a mudança radical na estratégia do enfrentamento armado, os fuzileiros desapareceram no final do século XIX. Contudo, o uso do termo "fuzileiro" manteve-se em algumas forças armadas para designar os soldados de infantaria, principalmente a naval.

O Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, que é um braço das Forças Armadas desse país, é um dos mais bem treinados do mundo e se tornou uma força militar individualizada, com múltiplos objetivos.

A experiência desses profissionais gerou uma série de orientações, reproduzidas abaixo, que servem não só para o profissional da área de segurança pública como também para o vigilante patrimonial armado e para o cidadão que porta arma de fogo devidamente legalizada.

Procurei ainda agregar nessa lista de orientações, experiências que obtive ao realizar pesquisa criminal com policiais civis e militares com vasta experiência de enfrentamento contra bandidos armados.

1) Ande com sua arma, mas de preferência que sejam duas;

2) Fora do serviço carregue a arma de forma velada;  

3) Tudo que merece ser atingido uma vez, merece ser atingido duas vezes;

4) Na hora do confronto armado é preciso pensar rápido e agir mais rápido ainda. Não se deve vacilar, mas se isso acontecer, que não seja um erro lento;

5) Se a sua posição de tiro não é boa, você provavelmente não está se movendo rápido o suficiente;

6) Mova-se para longe do seu oponente; lembre-se que a distância é sua amiga e aliada ;

7) Na hora do tiroteio, movimentos laterais e diagonais são preferíveis;

8) Durante o confronto armado, se você não está atirando, deveria estar se comunicando, recarregando ou correndo;

9) Precisão do disparo é sempre relativa. O sucesso nos tiroteios depende mais do poderio de fogo que da precisão da arma propriamente dita. Tiros certeiros só em filmes de Holywood;

10) Sua arma deve estar sempre limpa, lubrificada, com munição original e dentro do prazo de validade. Não adianta ter toda técnica operacional para enfrentar inimigo armado se sua arma falhar;

11) Num entrevero com marginais armados, o único resultado que não pode acontecer é aquele no qual você perde a vida;

12) Fique atento a todas as situações no dia a dia. Quem porta arma de fogo não pode relaxar. Jamais use o smartphone em público e ao sentar mantenha sempre suas costas protegidas;

13) Tenha atenção e sensibilidade de prever o perigo antes que aconteça; assim você estará com a mão na arma de fogo antes de seu oponente;

14) Estando armado, não seja cortês com todo mundo, principalmente com desconhecidos;

15) Vigie as mãos do suspeito para saber se ele pode se tornar um oponente;

16) Se decidir que a única saída é o confronto armado, tenha um plano inicial e crie um segundo para o caso de o primeiro falhar;

17) Decida ser agressivo o suficiente;

18) Quanto mais rápido terminar a batalha, menos tiros você tomará;

19) Não seja um atirador pela metade. Atire com os dois lados. Seja completo. Você não escolhe em qual lado será ferido e nem por qual lado terá que fazer os disparos;

20) Use coberturas e anteparos tanto quanto possível. O único alvo visível deveria ser aquele em frente à sua arma;

21) Cuidado sempre com a retaguarda para não ser surpreendido;

22) Não baixe a guarda. Não tire os olhos do cenário;

23) Sempre faça recarga tática e escaneie 360 graus procurando ameaças;

24) Treine ou oriente também seus familiares sobre o que fazer na hora da sua reação;

25) Treine saque. Treine de novo. O saque da arma é o início de tudo e pode terminar o combate rapidamente ou dar muita vantagem a você. Somente a repetição de treino o fará ganhar reflexo condicionado. Esteja preparado quando precisar atirar;

26) Invista dinheiro na compra de um bom coldre;

27) Não existem heróis (esse termo é usado comunentemente por leigos e profissionais sensacionalistas da imprensa). Na vida real, deve sobreviver ao combate quem está ao lado da lei, e para que isso aconteça, a principal ferramenta não é a sorte e nem ato de heroísmo. É o profissionalismo, com base em exaustivo treinamento e capacitação constante.

 

Dr. Jorge Lordello 

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement