Página Inicial arrow Cuidados no Dia-a dia arrow “Pop Socket” acoplado ao celular pode minimizar risco de furto do aparelho?
Domingo - 05 de Abril de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase6.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Visite nosso canal no Youtube!

Nossos Parceiros

Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Comunicação Juridica
Grupo Padrão
Pro Security
Top Clean
ATS Terceirização
ASC Service
Crimes & Acidentes
Grupo Vip
Grupo GP
Protecães
Lordello Consultoria
Terras de Gênova
Avitran
FL Terceirização
Grupo Titanium
Full
Life Condomínios
Wall Service
Leão Serviços
Porto Service
NR Service
Seguridade
Associação Nacional de Agentes de Segurança
QAP Segurança
Méthodo Gestão Educacional
Good Clean
JSEG Vigilância
Condomínio em Foco

Quem está On-line

Nós temos 6 visitantes online
“Pop Socket” acoplado ao celular pode minimizar risco de furto do aparelho? Email
 

A nova febre para os amantes de smartphones, são os vários modelos do chamado “pop socket”, que é um “apoio” que se cola na parte de trás da capinha do aparelho para ajudar a segurá-lo melhor. Trata-se de um encaixe para dedos que dá ao usuário maior firmeza para tirar fotos ou fazer selfies.

O problema é que a mídia tem veiculado alguns artigos que dão a entender que o “pop socket” funciona também como equipamento de segurança, capaz de minimizar risco de furto do celular em público.

Observe a matéria postada no jorn al “Agora”, em 11.12.2017:


Anel e pulseira para celular viram estratégia de defesa contra furtos

“Acessórios para celular têm virado armas contra furtos. Anéis e pulseiras acoplados ao aparelho permitem aos dedos que se encaixem, deixando a mão mais firme no caso de algum ladrão querer puxar o telefone. É o que atestam os adeptos dessa mania que, de quebra, traz estilo e comodidade a quem usa a novidade no smartphone ou no tablet. A vendedora Milena Araújo de Souza, 19 anos, usa o anel grudado em seu smartphone. Ela afirma que o acessório proporciona mais firmeza e segurança à mão, tanto contra furtos como para selfies com mais precisão. "É muito mais prático e sinto que posso controlar o celular na minha mão", afirma. Milena conta que também usa o anel para apoiar o aparelho e, assim, poder assistir a vídeos e a filmes. "É mais confortável", garante. A corretora de seguros Sonia Regina Bertasi, 50 anos, destaca várias funções do anel que ela usa grudado à capa do seu smartphone. "O celular encaixa na mão e dificulta o roubo. Nunca testei, mas sinto mais segurança com o anel", explica ela, que prefere usar no dedo médio. Sônia elogia, ainda, a praticidade para digitar. "Mando mensagens com uma mão só, facilitou para digitar".

 

QUAL OPINIÃO DO DOUTOR SEGURANÇA SOBRE ESSA NOVA MANIA?

Também nas redes sociais, muita gente tem dito que o “pop socket” pode minimizar risco de furto em vias públicas. Mas será que isso é verdadeiro na prática? Creio que não! Inicialmente, é importante explicar que o crime de furto é a subtração sem violência à vítima.

Já postei diversos vídeos em minhas redes sociais de pessoas falando ao celular ou tirando fotos em locais movimentados, como a Avenida Paulista, em São Paulo, e em dado momento surgem marginais correndo, de bicicleta e até de motocicleta, que aproveitam para dar o bote nos celulares dessas vítimas distraídas. Geralmente, a pessoa leva um susto; e como o criminoso está em velocidade, as chances de recuperar o aparelho são ínfimas.

Se o dedo do usuário estiver de alguma forma preso ao celular, com o tranco recebido na hora do repentino furto, poderão ocorrer as seguintes situações:

 -Quebra do dedo que está segurando o smartphone

 -Luxação do dedo, podendo ainda gerar sangramento

 -Deformidade ou problema sério na mão que estava segurando o celular

 - A vítima ainda pode perder o equilíbrio, cair violentamente ao chão e ter outros ferimentos em diferentes partes do corpo

 -Mas vamos supor que o marginal tentou fazer a subtração na modalidade furto, e em razão do pop socket, não conseguiu. Ele pode se revoltar por entender que a vítima, de alguma forma, reagiu à sua investida e, consequentemente, partir para a violência física para consumar seu intento criminoso.

Portanto, o pop socket não deve ser adquirido como forma de proteger seu celular contra bandidos. Sua utilidade é outra!

Adquiri esse equipamento baratinho para experimentá-lo e produzir este artigo com pleno conhecimento. Notei que o smartphone fica reamente mais seguro com o apoio desse pequeno fixador, e assim, o risco de derrubar o celular é bem menor, evitando sua eventual quebra ou dano na tela, que é fica bem caro para substituir.

A única estratégia que funciona para proteger o celular de furtos e assaltos, é não exibí-lo nas ruas e transporte público.

Lembre-se que aquilo que o bandido não enxerga, não tem como desejar.

Se o interesse do leitor é realmente proteger o smartphone, procure utilizá-lo de forma consciente, sempre em local seguro, longe da presença de estranhos e multidões.

Mas acreditar que o “pop socket” tem o condão de evitar ou até mesmo diminuir o risco de subtração nas ruas, é o mesmo que acreditar que Papai Noel existe e seu meio de transporte é um trenó puxado por renas.

 

Dr. Jorge Lordello 

 

 


 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement