Página Inicial arrow Trânsito arrow A impunidade cada vez mais impune
Sábado - 21 de Maio de 2022

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase7.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Visite nosso canal no Youtube!

Nossos Parceiros

FL Terceirização
Pro Security
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Life Condomínios
Top Clean
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Grupo Titanium
Comunicação Juridica
Crimes & Acidentes
Terras de Gênova
Condomínio em Foco
Método Lordello de Treinamento em Segurança
ATS Terceirização
Protecães
JSEG Vigilância
Seguridade
Grupo GP
Méthodo Gestão Educacional
Good Clean
Lordello Consultoria
Grupo Vip
NR Service
Full
Avitran
Leão Serviços
ASC Service
Porto Service
Wall Service
QAP Segurança
Grupo Padrão

Quem está On-line

A impunidade cada vez mais impune Email

Em julho de 2005, Luciano Machado Barreto atropelou e matou o ciclista Adail Gomes de Oliveira. Ele dirigia o veículo Monza, de placa LHP-0072. Estava sem carteira de habilitação e alcoolizado; para piorar, não prestou socorro à vítima.

Uma testemunha anotou a placa do carro e a polícia localizou o fujão em sua casa. O assassino do trânsito foi denunciado pela promotoria por homicídio culposo, na comarca da cidade de Campos/RJ, mas respondeu o processo em liberdade. Após 11 longos anos, o advogado do réu alegou em defesa de seu cliente que o crime já estava prescrito, recurso acolhido pela juiza do feito, que absolveu o motorista em 17.02.2016, ou seja, ganhou o direito de ser considerado “ficha limpa”.

Três dias depois, ou seja, em 20.02.2016, Luciano Machado Barreto resolveu viajar com a família pela rodovia BR-356, que liga Campos a São João da Barra, no norte fluminense e se envolveu em outro grave acidente de trânsito, neste, com o carro de José Roberto Izaias Junior, que morreu na colisão. O policial que atendeu a ocorrência percebeu que o condutor Luciano aparentava sinais de embriaguez. O teste do bafômetro apresentou resultado positivo, confirmando as suspeitas do policial.

Novamente o condutor deverá responder o processo criminal em liberdade. A esses fatos damos o nome de “impunidade”.

Em 2015 quase 50 mil brasileiros perderam a vida em razão de acidentes de trânsito, sendo que em 50% dos embates a motivação foi o abuso de álcool. Não podemos esquecer das mais de 200 mil pessoas que ficaram feridas; muitas delas apresentando lesões sérias.

A impunidade, as brechas nas leis e o famigerado jeitinho brasileiro são os grandes incentivadores para a prática de crimes.

O escritor André Zanarella conseguiu colocar o dedo na ferida com o texto “Bandido Impune”:

“A arma do crime foi jogada fora. A violoncelista está solitária chorando e o maldito bandido sai impune. Num quarto de hospital o grito; uma vida nasce já rejeitada e o bandido safado já deu no pé. Na balada a paixão aquece; o vírus contamina outro ser e o responsável pela loucura? Quando puniremos esse bandido? Que lança a sua flecha, que parte tantos corações, transforma são em suicida, a paixão em infectante letal. Quando irá para o banco do réu, esse bandido com jeito de anjo, com lindas asas sedutoras e belas; que tem como arma mortal a emoção, que faz qualquer um perder a razão...  Quando será julgado oh! Bandido Cupido”.

 

Dr. Jorge Lordello 

 

Próximo >
 AdvertisementAdvertisement