Página Inicial arrow Seqüelas da Violência arrow Quais as sequelas e prejuízos gerados pela criminalidade no Brasil?
Sexta-feira - 28 de Janeiro de 2022

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase6.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Visite nosso canal no Youtube!
Siga-nos no Twitter!

Nossos Parceiros

NR Service
Grupo Padrão
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Lordello Consultoria
Crimes & Acidentes
FL Terceirização
Grupo Vip
ATS Terceirização
Seguridade
Porto Service
Avitran
JSEG Vigilância
ASC Service
Grupo Titanium
Full
Condomínio em Foco
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Top Clean
Good Clean
Comunicação Juridica
Terras de Gênova
Life Condomínios
Grupo GP
Pro Security
Leão Serviços
QAP Segurança
Wall Service
Protecães
Méthodo Gestão Educacional

Quem está On-line

Quais as sequelas e prejuízos gerados pela criminalidade no Brasil? Email

No final de 2015 estive no Rio de Janeiro; numa manhã ensolarada resolvi ir até a Lagoa Rodrigo de Freitas percorrer a pista de 7,5 km de extensão que a ladeia. 

Durante a corrida, percebi algo intrigante! Poucas pessoas circulavam pelo lindo local. Aonde estavam os turistas? E os moradores do Leblon e Ipanema que utilizam o espaço para passeio e práticas esportivas?

Já estive em outros anos, nessa mesma época, nesse mesmo local e o movimento de pessoas era infinitamente maior. Tive que andar bastante para encontrar água de côco. Restou claro, que o número de ambulantes também diminuiu bastante, provavelmente por causa dos poucos clientes. Será que a causa desse marasmo é a crise econômica e o alto índice de desemprego? Creio que não, pois quem frequenta a Lagoa, em sua maioria, são os moradores da região, que são de classe média alta e alta.

Comentei com o vendedor de água de côco sobre meu espanto quanto ao reduzido número de pessoas nessa que é uma das paisagens mais belas da cidade fluminense. A resposta foi esclarecedora:

“Os assaltos corriqueiros afugentaram as pessoas, e a morte do médico Jaime Gold, em maio/2015, que passeava com sua bicicleta e foi esfaqueado por um menor por causa de um mísero celular, gerou pânico e afugentou o povo da Lagoa”.

Muita gente, ao ver ocorrências policiais na televisão ou nos jornais, não têm noção do estrago feito em nosso país pelos altos índices de criminalidade. Geralmente, a discussão apresenta foco limitado somente ao fato criminoso: Quem morreu? Quem matou?  

A extensão do problema é bem maior.

Como será que está a vida dos familiares do médico Jaime Gold? Qual o reflexo na vida daqueles que trabalhavam com ele e de seus pacientes? Será que alguém próximo à vítima adquiriu algum tipo de estresse pós-traumático e está com a vida paralisada neste momento? E os moradores do entorno da Lagoa, que a frequentavam a pé, será que passaram a ficar trancafiados dentro do lar, limitando-se a ver a bela paisagem através da janela?

Com a queda da frequência de pessoas, muitos comerciantes tiveram que fechar seus negócios e com isso suas famílias sentiram na pele a queda da renda financeira familiar. Menos venda gera desemprego e queda da arrecadação da cidade, que passa a ter menos recursos para investir na educação, saúde, segurança pública e etc.

Os reflexos negativos gerados pela violência urbana são de profundidade aterrorizante e devastadora. Em cada região do Brasil onde ocorre um assalto, estupro, assassinato, ponto de venda e uso de drogas, corrupção de agentes públicos e etc., as sequelas da violência urbana são as mesmas.

Portanto, amigo leitor, o Brasil não pode continuar refém dos bandidos das comunidades carentes nem dos criminosos de colarinho branco.

 

Dr. Jorge Lordello 

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement