Página Inicial arrow Medo e Omissão arrow A violência urbana te faz temer o futuro?
Quarta-feira - 15 de Julho de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase8.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Visite nosso canal no Youtube!

Nossos Parceiros

ASC Service
FL Terceirização
Protecães
NR Service
Méthodo Gestão Educacional
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Leão Serviços
Lordello Consultoria
Grupo GP
Comunicação Juridica
Crimes & Acidentes
ATS Terceirização
Pro Security
Full
QAP Segurança
Grupo Vip
Top Clean
Wall Service
Condomínio em Foco
Avitran
Terras de Gênova
Grupo Titanium
Porto Service
Life Condomínios
Good Clean
Grupo Padrão
JSEG Vigilância
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Seguridade
Associação Nacional de Agentes de Segurança

Quem está On-line

A violência urbana te faz temer o futuro? Email
Nosso mundo está em crise. O medo está presente o tempo todo. Os problemas crescem mais rápido que as soluções. A violência predomina em nosso dia a dia e nos faz temer o futuro. Os efeitos colaterais dos distúrbios sociais, infelizmente, se refletem no seio familiar, dificultando a convivência. As drogas rondam nossos lares à espera de uma oportunidade para aniquilar sonhos e destruir corações. Escrevi este texto em 1999, quando lancei meu primeiro livro, intitulado “Como Conviver Com a Violência”, em coautoria com o médico Lair Ribeiro. Na contra capa, fizemos questão de inserir poema do escritor Eduardo Alves da Costa, que foi redigido na década de 60 e que diz muito sobre o quadro caótico que vivemos no Brasil ainda hoje: “Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada... Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada”. Mais de 15 anos se passaram e a criminalidade avançou tanto que todas as famílias brasileiras têm pelo menos algum parente vitimado pela trágica e impiedosa violência urbana. As leis penais, ao invés de endurecerem para coibir tal situação, trouxeram ainda mais benefícios aos criminosos e nenhuma garantia às vítimas. Os bandidos estão se unindo, agindo em grupos para serem mais letais e impedir qualquer resistência. As polícias continuam divididas e setorizadas e o judiciário....... distante. A democracia parece mais um balcão de negócios, onde o interesse escuso se materializa na propina, fazendo com que o dinheiro e o interesse público escorreguem pela canalização privada. Mas qual é a esperança daquele que acredita em dias melhores? Bem, podemos ser campões no futebol!
 
 
Dr. Jorge Lordello 
 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement