Página Inicial arrow Cuidados no Dia-a dia arrow Acidente ou erro no trabalho: nem sempre o vilão é a falta de treinamento
Domingo - 29 de Março de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase6.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

Méthodo Gestão Educacional
ASC Service
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Condomínio em Foco
Crimes & Acidentes
Grupo Titanium
Lordello Consultoria
ATS Terceirização
Protecães
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Pro Security
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Life Condomínios
Seguridade
Grupo Vip
JSEG Vigilância
Leão Serviços
NR Service
Grupo Padrão
QAP Segurança
Porto Service
Grupo GP
Avitran
Full
Good Clean
FL Terceirização
Comunicação Juridica
Wall Service
Terras de Gênova
Top Clean

Quem está On-line

Nós temos 2 visitantes online
Acidente ou erro no trabalho: nem sempre o vilão é a falta de treinamento Email
Dona Maria andava estressada em razão dos problemas de saúde de seu pai. Devido a esse desequilíbrio emocional, ela chegou a sofrer alguns acidentes domésticos. O fato mais grave ocorreu quando o marido se atrasou para o jantar que ela havia preparado. A comida já estava quase fria quando, aos berros, mandou o filho ligar novamente para o celular do genitor. A resposta não a agradou: “Mãe, já liguei três vezes, mas só atende uma mulher. Ela ficou furiosa: “Hoje o cachorro do seu pai me paga”. Após vinte minutos, surge o senhor Aparecido, que, ao abrir a porta do lar, é recebido com uma frigideira na cabeça, que provocou grave ferimento com abundante sangramento. Enquanto a ambulância não chegava, os vizinhos seguraram a mulher para evitar mal ainda maior. Mas ela continuava com as ofensas : “Safado, cafajeste, filho da puta. Aqui em casa você não coloca mais os pés. Não sou obrigada a aguentar homem infiel”. “Mas o que aconteceu?” perguntou a amiga que morava na casa ao lado. Dona Maria, bufando, disse: “Vem cá, filho! Diz aqui prá todo mundo o que foi que aquela sem vergonha falou prá você no telefone”. O garoto, de apenas cinco anos, explicou: “A moça que atendeu o telefone do pai, disse: “O número que você ligou encontra-se desligado ou fora da área de cobertura". Muitos jornalistas me procuram quando um vigilante patrimonial ou policial comete erro grotesco durante expediente de trabalho. Os profissionais da imprensa, normalmente, desejam saber se a falha ocorreu em virtude de treinamento deficiente. Minha resposta gira em torno do estresse. A ansiedade, a tensão emocional e o nervosismo, são considerados distúrbios emocionais que podem gerar diversos sintomas, tais como: dificuldade de concentração, fadiga, irritabilidade - incluindo perda de controle -, problemas sexuais, dificuldade para dormir e etc. O operador de máquina que perde um dedo ou até parte do braço, necessariamente não é despreparado, muito pelo contrário, costuma ser profissional experiente, mas, mesmo assim, diariamente temos inúmeros acidentes de trabalho com gravidade. O mesmo podemos dizer da grande quantidade de acidentes de trânsito que são gerados não por falta da habilidade do condutor, mas sim pelo desequilíbrio emocional, condição que leva à imprudência e negligência. Acredito, piamente, que a legislação trabalhista deveria obrigar, como prevenção a acidentes, que muitas vezes podem ser fatais, que trabalhadores em funções de risco se submetessem, periodicamente, a testes psicológicos para medição do nível de estresse.
 
Dr. Jorge Lordello 
 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement