Página Inicial arrow Medo e Omissão arrow Criminosos Unidos X Sociedade Individualista
Segunda-feira - 15 de Agosto de 2022

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase2.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Visite nosso canal no Youtube!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

NR Service
ATS Terceirização
JSEG Vigilância
Crimes & Acidentes
FL Terceirização
QAP Segurança
Pro Security
Protecães
Condomínio em Foco
Terras de Gênova
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Grupo Titanium
Avitran
Méthodo Gestão Educacional
Comunicação Juridica
Seguridade
Lordello Consultoria
Top Clean
Grupo Vip
Leão Serviços
ASC Service
Porto Service
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
Wall Service
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Good Clean
Grupo GP
Full
Grupo Padrão
Life Condomínios

Quem está On-line

Nós temos 1 visitante online
Criminosos Unidos X Sociedade Individualista Email
Quando lancei meu primeiro livro, em 1999, intitulado “Como Conviver Com a Violência”, entrei em contato com o escritor Eduardo Alves da Costa, para o qual pedi autorização para publicar o texto “Despertar é Preciso”, de sua autoria, que diz o seguinte:” Na primeira noite eles aproximam-se e colhem uma flor do nosso jardim e não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada”. A criminalidade aumentou e se tornou mais perigosa na medida em que os marginais começaram a entender que unidos, trabalhando em conjunto, seriam mais fortes. Do outro lado, encontramos a sociedade com medo, preocupada, acuada e com extrema dificuldade em se organizar no sentido de reverter esse quadro caótico. Cada vez mais, as famílias estão aquarteladas dentro de suas casas e muito dessa inércia é explicada pelo excesso de individualismo. Martin Niemoller, símbolo da resistência aos nazistas, escreveu em 1933: “Um dia vieram e levaram meu vizinho, que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho, que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei. No terceiro dia, vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar...”. Se o homicídio ocorreu em outro Estado, muita gente fica chateada, mas a vida segue da mesma maneira. Se aconteceu em nossa comunidade, a indignação aumenta, principalmente se já passamos pela localidade do fato. Se o episódio fatídico se deu no bairro vizinho, é necessário tomar algumas providências e alertar os familiares que vivem mais próximos do ocorrido. Quando o fato criminoso foi gerado no nosso bairro ou com alguém muito próximo, chegou a hora de instalar mais grades, levantar o muro e aumentar a quantidade de câmeras. A cultura do individualismo acaba prevalecendo, e é por isso que criaram, há muito tempo, o jargão popular: “Cada um por si e Deus por todos”.
 
Dr. Jorge Lordello 
 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement