Página Inicial arrow Legislação arrow Voce é a favor ou contra a legalização das drogas no Brasil?
Quarta-feira - 03 de Junho de 2020

Segurança da Mulher

Assédio Sexual
Dicas Especiais

Segurança no Trabalho

Incêndio

Segurança da Informação

Espionagem Industrial

Frases do Dr. Lordello

frase6.png

Enquete

Quais as razões para o aumento da criminalidade?
 

Cadastre-se no Portal

Cadastre-se no Portal e receba nossos informativos periodicamente, além de concorrer a livros e convites para palestras.

:




Redes Sociais

Siga-nos no Twitter!
Conecte-se ao Facebook!

Nossos Parceiros

Leão Serviços
Condomínio em Foco
Avitran
FL Terceirização
Seguridade
Método Lordello de Treinamento em Segurança
Grupo Padrão
Top Clean
NR Service
ASC Service
Méthodo Gestão Educacional
JSEG Vigilância
Grupo Titanium
Protecães
Porto Service
Lordello Consultoria
Good Clean
Pro Security
Grupo GP
Grupo Vip
Full
Ganhe mais visibilidade. Anuncie aqui!
QAP Segurança
Associação Nacional de Agentes de Segurança
Crimes & Acidentes
ATS Terceirização
Comunicação Juridica
Life Condomínios
Terras de Gênova
Wall Service

Quem está On-line

Nós temos 1 visitante online
Voce é a favor ou contra a legalização das drogas no Brasil? Email

Atualmente, muitos defendem que maconha e outras drogas sejam liberadas para uso no Brasil. Citam como exemplo a Holanda, que assumiu em 1976 a condição de primeiro país a legalizar o consumo de algumas drogas. No entanto, é importante conhecer alguns pontos das limitações impostas pelas legislações dos países que resolveram descriminalizar o consumo de drogas. Em Amsterdã é permitida a compra e uso de maconha e haxixe somente nos chamados “coffeeshops”. Por outro lado, é proibido o uso ou a venda dessa droga em locais públicos. A Holanda possui 651 estabelecimentos autorizados a vender pequenas quantidades da droga. Os “coffeeshops” são na verdade bares, onde também são vendidas bebidas alcoólicas. A diferença é que existem nesses locais cardápio específico de drogas. O grama da maconha e do haxixe custa entre 20 a 30 reais; a quantidade máxima vendida por pessoa é de 5 gramas. A venda é feita em cigarro pronto para consumo ou por peso. Países que liberaram o uso de drogas passaram a receber muitos turistas de locais onde há proibição. O problema é que traficantes também passaram a migrar para essas localidades. A Prefeitura de Amsterdã contabiliza que 1/3 dos turistas vêm à cidade exclusivamente para consumir drogas. Em 01/05/2012 o governo Holandês introduziu em três cidades obrigatoriedade de cadastro dos clientes compradores de drogas nas lojas. Muitos são contra, pois temem sofrer discriminação no mercado de trabalho. Por outro lado, a polícia já observou aumento considerável de tráfico de entorpecentes. Recentemente, Portugal flexibilizou ainda mais a lei que liberou o uso de algumas drogas. Nos estabelecimentos onde, legalmente, drogas são comercializadas, é possível encontrar diversos tipos de alucinógenos, balas de maconha, pirulito de haxixe e cogumelos, além de cachimbos de vários modelos. O lançamento do momento são os energéticos com cheiro e sabor de maconha. Em decorrência da complexibilidade do assunto em pauta, surgem várias dúvidas: O Brasil deve legalizar as drogas? Descriminalizar o uso de maconha e outras substâncias entorpecentes irá aumentar ou diminuir o número de dependentes? Se a lei for alterada, corremos risco de atrair traficantes estrangeiros, além de turistas viciados em drogas?

 

Dr. Jorge Lordello 

 

< Anterior   Próximo >
 AdvertisementAdvertisement